» Órgãos Colegiados:
CES
CIB
CIR
COSEMS
» Dados Estatísticos
» Planos e Relatórios
» Informações de    Saúde:
» Nossos Parceiros:
FUNASA DATASUS
Ministério da Saúde CONASS
Cartão SUS Biblioteca Virtual de Saúde
» Sites Relacionados:
Doação de Órgãos
Banco de Olhos
Farmácia Popular
FVS
CEREST
Laudo Procedimento
APAC
Aplicativo
Saúde Amazonas
  Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas

Hospital Universitário Francisca Mendes alcança marca de 4.000 cirurgias cardíacas em adultos

O Hospital Universitário Francisca Mendes, que está sendo reestruturado pelo Governo do Amazonas, alcançou no mês de agosto a marca de 4.000 cirurgias cardíacas em pacientes adultos. A unidade é referência em cardiologia adulta e pediátrica na rede pública de saúde e oferta os procedimentos cirúrgicos, principalmente em adultos.


Nos últimos meses, a unidade vem passando por um processo de reestruturação dos serviços. A manutenção e a aquisição de novos equipamentos vêm permitindo ao hospital recuperar a capacidade plena de atendimento. Um exemplo é o setor de hemodinâmica, que deve dobrar procedimentos como cateterismo cardíaco adulto e infantil, neurológicos, vasculares, ablação e implantação de marca passo.


“Conseguimos concluir a manutenção de uma máquina de hemodinâmica e adquirimos outra, o que vai permitir que dobremos a capacidade dos procedimentos neste setor que é fundamental para aquela unidade referência da Rede Estadual de Saúde em atendimentos cardíacos”, afirma o governador David Almeida.


Cirurgias – Casos de doenças nas veias coronárias representam 50% das pessoas que necessitaram passar por cirurgias cardíacas no Francisca Mendes. “São pacientes que necessitam colocar pontes de safena ou mamária, para correção de problemas nas veias coronárias”, explica o chefe do serviço de cardiologia, Mariano Terrazas.


Em segundo lugar, estão os pacientes que apresentam problemas nas válvulas cardíacas e precisam passar pelo procedimento cirúrgico para troca da válvula por uma prótese ou para correção por plastia. Em terceiro, os pacientes com problemas na aorta, como os aneurismas cardíacos.


A maioria dos pacientes, que passou pelo procedimento cirúrgico para correção de problemas cardíacos, está na faixa etária de 50 a 70 anos, sendo que 60% são do sexo masculino e 40% são mulheres.


Mariano Terrazas explica que as cirurgias cardíacas são procedimentos complexos e longos, com abertura do tórax e necessidade de recuperação em leito da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) durante as primeiras horas pós-cirurgia. Cada paciente fica internado por uma média de 10 dias na recuperação pós-cirúrgica, entre o tempo que fica na UTI e na enfermaria.


“Existe toda uma estrutura necessária e equipe especializada para realizar esse tipo de cirurgia. Chegar a esse número de 4.000 procedimentos cirúrgicos é um marco para o hospital e para os profissionais, que possibilitam aos pacientes a oportunidade de sobreviverem com qualidade de vida, apesar das restrições comuns de quem tem doença cardíaca”, comemora o diretor do hospital, Pedro Elias de Souza.


Pioneiro


Mariano Terrazas lembra que as cirurgias cardíacas eletivas começaram a ser realizadas em 2004, através de um programa da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), cuja meta inicial era realizar 50 cirurgias. A equipe era formada por seis cirurgiões cardíacos.


Com realização das primeiras 50 cirurgias, o Hospital conseguiu credenciamento junto ao Sistema Único de Saúde (SUS) para dar seguimento ao programa que foi crescendo e chegou no mês de agosto, à marca de 4.000 procedimentos.


Atrelado ao serviço de cardiologia foi implantado um programa de residência médica em cirurgia cardiológica para formação de novos médicos especialistas na área. “Hoje nossa equipe conta com 14 cirurgiões e todos que entraram na equipe após o início do projeto, vieram dessa residência médica”, explica Terrazas.


A equipe realiza dois procedimentos cirúrgicos em pacientes adultos por dia e estão sendo implementadas ações internas para aumentar em mais uma cirurgia por dia. “Nosso objetivo é realizar 60 procedimentos cirúrgicos em pacientes adultos todos os meses. Hoje fazemos 40”.


Clube do Coração


Os pacientes também contam com o suporte de uma equipe formada por enfermeiros, fisioterapeutas, assistentes sociais, nutricionistas e psicólogos que dão todo o suporte necessário, tanto no pré quanto no pós-operatório.


“Nós temos um projeto chamado Clube do Coração, onde nós atendemos esse paciente de forma integral, com acad profissional dando suporte na sua área de competência e preparando esse paciente para realizar um tratamento completo e ter sua saúde reestabelecida”, explica Pedro Elias.


Toda semana é feita uma reunião com os pacientes que estão com a cirurgia agendada e em uma conversa informal são repassadas todas as informações relativas ao procedimento cirúrgico, os riscos, os cuidados. Os pacientes têm direito a se expressar, tirar suas dúvidas, expor seus medos.


“É uma reunião descontraída, leve, onde falamos uma linguagem que eles entendam e participem ativamente de todo o processo”, relata Pedro Elias.


Há também uma reunião mensal, entre as equipe e pacientes que já passaram pelo procedimento cirúrgico, na qual o paciente é avaliado e orientado de como deve seguir para manter seu quadro de saúde.


Cardiopediatria


Em 2014, o Francisca Mendes passou a realizar cirurgias cardíacas em crianças. Nesses três anos, foram realizadas 400 cirurgias cardíacas pediátricas, atendendo pacientes com idade entre zero e 15 anos. Esse programa também deverá ser ampliado, saindo de uma cirurgia por dia para duas.

Em 12/09/2017 15:51:54
Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas
Av. André Araújo, 701 - Aleixo - CEP: 69.060-000 - Fone: (92) 3643-6300

© 2010 - Todos os direitos reservados.